Por ai com Gabi: Vale do Elqui

por-ai-com-gabi-vinicola-perez-cruz
Por aí com Gabi: Vinícola Perez Cruz
15 de agosto de 2018
serie-poesias-de-portugal-alentejo
Série Poesias de Portugal: Alentejo
28 de outubro de 2018
Exibir tudo
por-ai-com-gabi-vale-do-elqui

Se você, assim como eu, é apaixonado pelo Chile, não pode deixar de conhecer a região do Vale do Elqui!
Ainda bastante desconhecida, fica localizada no norte do país, no limite do deserto do Atacama, há 470km de Santiago, um pouco fora das principais rotas turísticas do país, este é um lugar curioso e com características únicas.

Conhecida principalmente por ser um dos melhores pontos de observação astronômica, o cultivo de uvas já existia há séculos para produção de Pisco (bebida típica do país), mas só em 1990 foi iniciada a produção de vinhos no local, e as charmosas vinícolas estão ganhando cada vez mais seu espaço! Sem contar o turismo, esportes de aventura, centros de meditação e spas. É realmente o lugar ideal para quem quer se desligar do dia a dia e relaxar.

Terroir da região

Neste vale, rodeado por montanhas, o clima é desertico, quente e seco, tornando a irrigação das vinhas indispensável para o cultivo. Quase não chove, contabiliza-se 300 dias, por ano, sem chuva.
Em compensação, o céu extremamente limpo e claro proporciona às vinhas, um extraordinário nível de exposição solar.

A latitude dos vinhedos também é um fator bastante importante, em determinados locais, sobressai à 2.000 metros acima do nível do mar! Por isso, a variação térmica entre dia e noite, chega a um intervalo de 20°C e faz com que as uvas demorem mais a crescer e a amadurecer, e assim, tendo o tempo necessário para desenvolver aromas mas principalmente, sem perder a acidez.

Vinhedo de Alcohuaz

E foi lá, que tive o prazer de conhecer um dos principais projetos de viticultura que já vi, projeto solo, do renomado Marcelo Retamal, que está entre os 15 melhores enólogos do mundo, segundo a revista Decanter.

O cultivo é feito somente de variedades mediterrâneas, Garnacha, Syrah, Cariñena, Touriga Nacional, Marsenne e Roussane, são 100% naturais, sem quase nenhuma intervenção humana nos vinhedos e na adega, as uvas são pisadas em lagares de pedra, como antigamente!
O amadurecimento é feito em ovos de concreto Namblot ou foudres de 2.500 litros de carvalho austríaco. No total, são 18 hectares de vinhas, plantadas em 2005, este projeto é fielmente baseado e respeitando as características do terroir local.

Segundo Marcelo, seu vinho é um reflexo da paisagem e das pessoas locais, o Elqui é conhecido por ser um dos lugares mais limpos do mundo, então, é muito puro.
A parte energética do local, sem dúvida tem sua contribuição para tudo isso!

A essência e sonho da marca eu conto no vídeo do meu canal Por aí com Gabi, você já viu?
É só clicar nesse link e descobrir o final dessa história!

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *